Detalhes do Artista/Banda

Abilio Manoel

O Verde Luso Canto

Abilio Manoel Robalo Pedro, nasceu português, na linda Lisboa de 1947, mais precisamente no dia 3 de fevereiro. Mudou-se para o Brasil e aqui tornou-se artista: cantor, compositor e produtor musical. Abilio também foi radialista, publicitário, diretor de cinema, operador de áudio e compositor de jingles e trilhas sonoras, função que exerceu nos últimos tempos. Iniciou sua carreira artística em 1966, quando se preparava para ingressar na faculdade de física, na Universidade de São Paulo. Começou se apresentando no programa Show do Meio-Dia, apresentado por Pagano Sobrinho na TV Excelsior. No ano de 1967 foi convidado para representar a USP no I Festival Latino-América de la Canción Universitaria, em Santiago (Chile), no qual conquistou o prêmio de melhor compositor, graças à canção “Minha Rua”. Logo a popularidade no meio universitário chegou aos meios de comunicação, e, ainda em 1967, foi convidado a participar do programa de Hebe Camargo, de grande audiência, onde cantou três músicas. Essa apresentação lhe trouxe o primeiro contrato, com a gravadora Odeon, pela qual gravaria, no ano seguinte, seu primeiro LP, com direção musical de Milton Miranda e arranjos e regência de Edmundo Peruzzi, a ser lançado em 1969.
Em 1968, concorreu no festival da TV Excelsior — com a música “Quem Dera…” — e no Festival Internacional da Canção — com “Catavento”. Depois veio o I Festival Universitário da TV Tupi, do qual participou com “Samba de Roda” e “Tudo Bem, Tudo Certo” — seu primeiro compacto simples. Em 1969, venceu o II Festival Universitário (TV Tupi), com “Pena Verde” — talvez seu maior sucesso, cujo compacto-simples alcançaria o topo das paradas em 1970, tornando-o conhecido em todo o país. Essa canção foi gravada em francês por Marie Laforet.
Abilio Manoel morreu de infarto aos 63 anos, quando terminava suas férias na Bahia, na cidade de Itacaré, no dia 30 de junho de 2010, justamente quando e se preparava para voltar à ativa.

Outros Grandes Artistas

Nada Encontrado