Enter the content which will be displayed in sticky bar

Lançado pela SINTER em 1955, este é um disco antológico e importante para pesquisadores e admiradores da Música Popular Brasileira. O texto da contracapa é do jornalista e musicólogo carioca Lucio Rangel, editor da Revista da Música Popular e um dos maiores defensores da música brasileira. A belíssima capa, uma obra de arte em discos brasileiros, é do conhecido desenhista e caricaturista Lan.
Os artistas neste disco:
Pixinguinha, compositor, orquestrador e instrumentista consagrado, é por muitos apontado como o maior música popular do Brasil. Sua presença frente a um conjunto é garantia de qualidade e de êxito certo. Tocando atualmente saxofone-tenor, é soberbo nos arranjos para pequenos conjuntos e em orquestrações para grupos numerosos. Suas harmonizações são admiráveis e o andamento que imprime aos diversos números é sempre o adequado e o legítimo.
Donga, autor de peças de grande sucesso, é o responsável pelo primeiro samba gravado em disco, o histórico Pelo Telefone, aparecido em 1917. Extraordinário violonista, o ponteado que executa em peças como Patrão olha seu gado, podemos dizer sem errar só ele faz.
João da Baiana, mestre do ritmo, quer no pandeiro, quer no prato-e-faca, é absoluto. Também compositor, é especialista nos corimbas e em outras modalidades afro-brasileiras.

Buscar No Google