Detalhes do Artista/Banda

Os Novos Baianos

Não Acabou, Consagrou

Os Novos Baianos foi um importante grupo da música brasileira nas décadas de 60 e 70, de onde vieram vários artistas solo de sucesso: Moraes Moreira (letras, vocais e violão), Baby Consuelo (hoje Baby do Brasil), que fazia vocais e percussão no grupo, Pepeu Gomes (guitarra e vocais), Paulinho Boca de Cantor (vocais e pandeiro), Dadi (baixo) e Luís Galvão (letrista).
A história do grupo começou em 1969, com o espetáculo “O Desembarque dos Bichos Depois do Dilúvio Universal”, no Teatro Vila Velha, em Salvador, Bahia, onde pela primeira vez se apresentaram juntos Luiz Galvão, agrônomo formado, Paulinho Boca de Cantor, ex-crooner da “Orquestra Avanço”, o popular nas noites de Salvador Moraes Moreira, a única não baiana do grupo, a niteroiense Baby Consuelo (hoje Baby do Brasil, e Pepeu Gomes. Moraes Moreira foi apresentado a Tom Zé, que era amigo de Galvão.
Baby Consuelo conheceu os dois (Moraes e Galvão) em um bar, enquanto passava as férias em Salvador. Mais tarde, Paulinho Boca de Cantor conheceu os três, e se uniu a eles. Dos membros que formariam o grupo mais tarde, apenas Pepeu Gomes era músico profissional e havia passado por diversas bandas anteriormente.
A banda foi formada Salvador (Bahia) no final dos anos 60, época em que teve um papel notável na fusão do rock com ritmos folclóricos brasileiros para a evolução da MPB.
Em 1969, se inscreveram para o V Festival de Música Popular Brasileira com a canção “De Vera”. A origem do nome surgiu em decorrência de uma apresentação na Rede Record, quando, ainda sem nome definido para o grupo, o coordenador do festival, Marcos Antônio Riso gritou “Chama aí esses novos baianos!”. Os Novos Baianos nunca se permitiram obedecer a gravadoras e empresários, tanto que, quando foram para São Paulo, se apresentaram em diversos programas de televisão, extrapolando o tempo previsto.
Ainda no início de 1969, Gilberto Gil e Caetano Veloso convidaram Pepeu para acompanhá-los em seu show de despedida antes do exílio, o “Barra 69”. Os Novos Baianos era então um grupo desconhecido, assim como Os Leifs (mais tarde se chamaria A Cor do Som) de Pepeu Gomes e seu irmão Jorginho Gomes. Então, Caetano e Gil propuseram que as duas bandas tocassem juntos no “Barra 69” por causa de sua forte formação instrumental. Assim, Os Os Leifs se juntou aos Os Novos Baianos com o espetáculo “Desembarque dos Bichos Depois do Dilúvio Universal”, apresentado primeiro em Salvador, depois na região sudeste.
Assim, veio o primeiro LP de Os Novos Baianos chamado “Ferro Na Boneca” (1970). No mesmo ano, o grupo disputou o V FMPB com “De Vera” (Morais/Galvão), incluído em seu primeiro LP.
Dois anos depois (1972), após uma apresentação com João Gilberto no ano anterior, o grupo se dedicou à pesquisa sobre as raízes musicais brasileiras, e o resultado é evidente em seu segundo LP, o clássico “Acabou Chorare”, um trabalho mesclado de choro, frevo, samba e outros gêneros.
O legado do grupo é uma riqueza da música popular brasileira com seus 8 trabalhos de estúdio com sua formação original. Foram estes os lançamentos inéditos com a banda completa:
1970 – É Ferro na Boneca (RGE)
1972 – Acabou Chorare (Som Livre)
1973 – Novos Baianos F.C. (Continental)
1974 – Novos Baianos (Continental)
1974 – Vamos pro Mundo (Som Livre)
1976 – Caia na Estrada e Perigas Ver (Tapecar)
1977 – Praga de Baiano (Tapecar)
1978 – Farol da Barra (CBS)
Os Novos Baianos se desfez em 1978, com seus membros partindo para carreiras solo. Depois que Moreira deu o exemplo, todos os outros ganharam seus espaços com sólidas carreiras.

Outros Grandes Artistas

Nada Encontrado