Detalhes do Artista/Banda

Mercedes Sosa

Canção Para a Liberdade

Mercedes Sosa nasceu em San Miguel de Tucumán em 9 de julho de 1935 (dia da declaração de independência da Argentina) e faleceu em Buenos Aires, na mesma Argentina em que nasceu, no dia 4 de outubro de 2009. Cantora com raízes na música folclórica argentina, ela se tornou uma das expoentes do movimento conhecido como Nueva Canción (Sosa e seu primeiro marido, Manuel Óscar Matus, estavam a frente deste movimento). Apelidada de La Negra pelos fãs devido à ascendência ameríndia (no exterior acreditava-se erroneamente que era devido a seus longos cabelos negros), ficou conhecida como a voz dos “sem voz”. Foi criada durante o governo de Juan Domingo Perón e sofrendo – como quase todos da sua geração – uma influência muito grande de Eva Perón, Sosa cresceu embalada pela ideologia peronista. Devemos nos lembrar que o peronismo era então difundido nas escolas e nos meios de comunicação, como a imprensa, o cinema e o rádio.
Iniciou sua carreira nos anos 1950, aos quinze anos de idade, quando venceu uma competição de canto organizada por uma emissora de rádio de sua cidade natal. Em 1959 gravou seu primeiro álbum, intitulado La voz de la zafra. Em seguida, uma performance no Festival Folclórico Nacional faz com que se tornasse conhecida entre os povos indígenas de seu país. Em 1965, lançou o aclamado Canciones, uma compilação de músicas folclóricas da Argentina. Em 1967 fez uma turnê pelos Estados Unidos e pela Europa e obtéeve imenso sucesso. No ano de 1970 gravou Cantata Sudamericana e Mujeres Argentinas com o compositor Ariel Ramirez e o letrista Felix Luna. Em 1971 gravou um tributo à cantora e compositora chilena Violeta Parra, ajudando a popularizar a canção “Gracias a la vida”.
Nos anos seguintes, Sosa interpretou um vasto repertório de estilos latino-americanos, gravando tanto com artistas argentinos quanto com internacionais como os brasileiros Chico Buarque, Daniela Mercury, Milton Nascimento, Caetano Veloso e Gal Costa. Também gravou com outros nomes internacionais como Sting, Andrea Bocelli, Luciano Pavarotti, Nana Mouskouri, Joan Baez, Silvio Rodríguez e Pablo Milanés. O repertório de Sosa continuou a ampliar, tendo gravado um dueto com a sambista Beth Carvalho, entitulado “So le pido a Dios”, cada uma cantando em seu idioma. Em 1981 gravou o sucesso “Años” com o cantor Fagner.
MERCEDES SOSA – A ENGAJADA:
Após a ascensão da junta militar do general Jorge Videla, que depôs a presidente Isabelita Perón em 1976, a atmosfera na Argentina tornou-se cada vez mais opressiva. Mercedes Sosa, que era uma conhecida ativista do peronismo de esquerda, foi revistada e presa no palco durante um concerto em La Plata em 1979, assim como seu público. Banida em seu próprio país, ela se refugiou em Paris e depois em Madri, só retornando à Argentina em 1982, vários meses antes do colapso do regime ditatorial. Nesta volta, fez uma série de shows no Teatro Colón em Buenos Aires, onde convidou muitos colegas jovens para dividir o palco com ela. Um álbum duplo com as gravações dessas performances logo se tornou um sucesso de vendas. Nos anos seguintes, Sosa continuou a fazer turnês pela Argentina e pelo exterior, cantando em lugares como o Lincoln Center, o Carnegie Hall e o Teatro Mogador. Sosa era Embaixadora da Boa Vontade da UNESCO para a América Latina e o Caribe. Em 2000, ela ganhou o Grammy Latino de melhor álbum de música folclórica por Misa Criolla, feito que repetiriu em 2003 com Acústico e em 2006 com Corazón Libre. Porém, a grande Mercedes Sosa morreu aos 74 anos de idade, depois de ser internada no dia 18 de setembro na Clínica de la Trinidad, no bairro de Palermo, por causa de um problema renal. Em 2008, Sosa havia dito que continuaria cantando “até os últimos dias”, como uma cigarra.

Principais discos de Mercedes Sosa:

  • La voz de la zafra – 1962
  • Canciones con fundamento – 1965
  • Yo no canto por cantar – 1966
  • Hermano – 1966
  • Para cantarle a mi gente – 1967
  • Con sabor a Mercedes Sosa – 1968
  • Mujeres argentinas – 1969
  • Navidad con Mercedes Sosa – 1970
  • El grito de la tierra – 1970
  • Homenaje a Violeta Parra – 1971
  • Hasta la victoria – 1972
  • Cantata Sudamericana – 1972
  • Traigo un pueblo en mi voz – 1973
  • Niño de mañana – 1975
  • A que florezca mi pueblo – 1975
  • La mamancy – 1976
  • En dirección del viento – 1976
  • O cio da terra – 1977
  • Mercedes Sosa interpreta a Atahualpa Yupanqui – 1977
  • Si se calla el cantor – 1977
  • Serenata para la tierra de uno – 1979
  • A quién doy – 1980
  • Gravado ao vivo no Brasil – 1980
  • Mercedes Sosa en Argentina – 1982
  • Mercedes Sosa – 1983
  • Como un pájaro libre – 1983
  • Recital – 1983
  • ¿Será posible el sur? – 1984
  • Vengo a ofrecer mi corazón – 1985
  • Corazón Americano – 1985 – Com Milton Nascimento e León Gieco
  • Mercedes Sosa ’86 – 1986
  • Mercedes Sosa ’87 – 1987
  • Gracias a la vida – 1987
  • Amigos míos – 1988
  • En vivo en Europa – 1990
  • De mí – 1991
  • 30 años – 1993
  • Sino – 1993
  • Gestos de amor – 1994
  • Oro – 1995
  • Escondido en mi país – 1996
  • Alta fidelidad – 1997 – Com Charly García
  • Al despertar – 1998
  • Misa Criolla – 2000
  • Acústico – 2002
  • Argentina quiere cantar – 2003 – Com Víctor Heredia e León Gieco
  • Corazón Libre – 2005
  • Cantora – 2009
  • Mercedes sosa, Una vida en canciones – 2010

Outros Grandes Artistas

Nada Encontrado