Enter the content which will be displayed in sticky bar

Anos 2000

- O Som Nas Nuvens
Anos 2000
O Som Nas Nuvens

Anos 2000  

Ao contrário dos anos 90 em que a sociedade se manteve fiel aos mesmos gêneros musicais, os ritmos e a nova forma de se ouvir música influenciaram bastante as pessoas durante os anos 2000 e ainda continuam a evoluir.
Os CD´s acabaram perdendo força com o lançamento dos MP3 players, se tornando cada vez mais frequente adquirir música a partir de downloads em sites de streaming de áudios.
Mas mesmo com isso, a década marcou o ensaio da volta de mídias antigas, como no ano de 2008, onde as vendas de discos de vinil aumentaram, cerca de 1,9 milhões de unidades foram vendidas, sendo um número superior à qualquer ano no mercado fonográfico desde 1991.
A utilização da internet aumentou muito a medida em que os anos se passavam ao longo da década. Contudo, esse aumento acabou potencializando a popularização dos downloads ilegais de músicas protegidas por direitos autorais, causando uma certa tensão entre a indústria musical e o público e gerando dúvidas sobre a popularidade das músicas nas paradas de sucesso.

A CENA INTERNACIONAL:

O Hip-hop americano acaba se tornando a escolha preferida da juventude nas grandes cidades, por vezes tornando-se até mais popular que o pop e o rock.
Nos EUA, artistas como OutKast, T.I., Kanye West, Ja Rule, The Game, 50 Cent, Nas, Jay-Z, DMX, Missy Elliott, Lil Wayne, Young Jeezy, Ludacris, Rick Ross, Snoop Dogg e Eminem dominam o cenário do hip-hop atual.[4] O urban pop, teen pop e o adult contemporary sofrem influências do soul e R&B substituindo as boy bands e as chamadas “músicas divas” do fim dos anos 90.
Os nomes mais populares deste novo R&B incluem artistas como a americana Britney Spears (uma das que mais venderam discos na década de 2000), Christina Aguilera, Jennifer Lopez, Beyoncé, Destiny’s Child, JoJo, Rihanna, Ciara, Chris Brown, T-Pain, Akon e Fergie.
Outro grande destaque da década foi Alicia Keys, cantora de R&B bem sucedida na década que vendeu 15 milhões de álbuns só nos Estados Unidos e 30 milhões mundialmente. Tornou-se a primeira artista de R&B e negra a ter 4 álbuns estreando consecutivamente no topo da Billboard 200.
Em 2002, outra artista ganha grande destaque, Avril Lavigne, com seu jeito rebelde que conquistou os jovens de todo o mundo, com grande impacto na indústria, seu disco de estreia “Let Go” foi um grande sucesso vendendo mais de 20 milhões de cópias e ganhando diversos prêmios.
Na Inglaterra, artistas femininas como Joss Stone, Amy Winehouse, Lily Allen, Corinne Bailey Rae, Adele, Duffy e Leona Lewis fazem um enorme sucesso.
No fim dos anos 2000, surgiram outros artistas de sucesso como Rihanna, Adele, Katy Perry, Lady Gaga e Taylor Swift.

A CENA NACIONAL:

No Brasil, o R&B americano e o pop rock dominaram as rádios populares das grandes cidades, mas teve diversos movimentos populares que acabaram popularizando novos ritmos como o sertanejo e o forró universitário, forró moderno e o funk carioca, além de diversos outros ritmos.
O Funk carioca se torna destaque popular durante toda a década, com artistas que fizeram sucesso na primeira metade da década como Bonde do Tigrão, Mc Serginho, Tati Quebra-Barraco e DJ Marlboro. Já na segunda metade, o cenário funk era comandado por MC Leozinho, Perlla, MC Créu, Gaiola das Popozudas e as chamadas Mulheres Fruta.
Outro ritmo com sucesso na década foi o samba de raiz volta aos holofotes em trabalhos de artistas como Roberta Sá, Diogo Nogueira e Teresa Cristina, entre outros.
Dentro da música eletrônica, surge o drum and bossa, um misto de samba, drum and bass e bossa nova, representado pelos artistas Fernanda Porto, Kaleidoscópio e os DJs Ramilson Maia, Marky e Patife.
Na MPB, o destaque ficou por conta de Maria Rita, conhecida também por ser filha de Elis Regina. Já no disco de estréia, foi posta pela mídia como a grande revelação musical do momento, alcançando a marca de 1 milhão cópias vendidas apenas no Brasil. A cantora lançou ainda mais dois discos de sucesso durante a década e ganhou seis Grammys Latinos.
Uma novidade foi a música religiosa que se tornou popular também principalmente entre os cristãos como a música gospel de artistas como Aline Barros, Kléber Lucas, e Diante do Trono. Do lado católico os artistas em destaque foram os Padres Marcelo Rossi e Fábio de Melo, além das bandas Anjos de Resgate e Rosa de Saron.
Porém, num apanhado geral, a cantora Ivete Sangalo, a Banda Calypso e Padre Marcelo Rossi foram os artistas que mais fizeram sucesso na década, tanto em questão de vendas, quanto em popularidade.

Extraído/Adaptado de WIKIPÉDIA

 

ALGUNS DISCOS DESTA DÉCADA


Trappa

Trappa

 

Buscar No Google